Signo de Caranguejo, o Sol da meia noite

signo caranguejo cancerSigno de Caranguejo, o Sol da meia noite

Os complexos arquétipos inconscientes movem e escolhem por nós quando não cuidamos da energia do nosso Ego consciente. O Arquétipo da Sombra significa exatamente esse lugar que nós chamamos de obscuro, porque racionalmente não é decifrável, onde reside o inteiro, não é separado e nem distinto, dos nossos movimentos energéticos. 

É o assim chamado Uroboro, símbolo da ausência de diferenciação entre o caos, o inconsciente e a totalidade da psique. Podemos dizer que o inconsciente é o estado psíquico inicial e primordial em que a consciência e o ego do ser humano ainda são infantis e não desenvolvidos. No Uroboro se fundem e se interpretam, então, o positivo e o negativo, ou seja,  os opostos, o que me faz bem e o que não me faz bem. 

Essa convivência dos opostos não é clara, quer dizer, separada, por isso, quando estamos no inconsciente do nosso agir nós temos a real noção do caos. É o caos da minha ausência no meu agora, onde posso ser tragada pela noite da força gravitacional protetora e conservadora, que podemos também chamar de Mãe devoradora.

Respirar nesse caos é trazer a força da nossa consciência no lugar onde o inconsciente nos levou! Acender a luz exatamente onde eu estou, porque não existe saída senão a partir da consciência do Agora.

"Dessa forma, o ego, se fortalece e a consciência se expande, assim a consciência não só recupera do arquétipo a libido que havia perdido para ele, como ainda adquire uma nova libido, advinda da porção cindida ou fragmentada do arquétipo ao assimilá-la, quer dizer digerindo-a.” E.Newman

O herói desse conflito evolutivo é a nossa força Masculina, Fogo e Ar, que podemos chamar de consciência Solar, que emerge da escuridão do inconsciente como o Sol da meia noite, símbolo usado para o signo de Caranguejo pelo aponto.

A viagem do herói é o símbolo eterno e universal de um caminho evolutivo que, para desenvolver um crescimento psicológico e espiritual, deve necessariamente ser difícil e arriscado. Pois apenas através do confronto e superação de um obstáculo, interno ou externo, pode emergir o Ser novo, que dizer, fortalecido no próprio ser consciente.

O nosso feminino representa a força do inconsciente, a grande capacidade de conter, proteger, nutrir, não a partir do julgamento, mas de uma silente abertura a tudo que é vida. Do silêncio da não separação surge a força do ser consciente, do fogo, que age, isto é, traz para luz.

O que trazemos à luz é o que desistimos de projetar no outro! É o inconsciente que conseguimos digerir, fragmentar, separar, olhar. Se evolui, então, a partir da escuridão, da noite, e não da luz, a partir do labirinto e não da estrada conhecida.

O Arcano

Blogs

Interatividade

Siga-nos

Apertura de cuenta bet365.es